Ameaçado de extinção, jacu é resgatado em Lagoa da Canoa

Animal está sob cuidados no Cetas até poder retornar à natureza

Janderson Oliveira

Fiscais do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) resgataram um jacu no município de Lagoa da Canoa. O animal foi encaminhado ao Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas), nesta quarta-feira (3), para receber cuidados até poder ser destinado ao seu habitat. A ação foi provocada por atendimento de pedido de resgate encaminhado ao órgão ambiental.

A ave foi comprada clandestinamente quando ainda era filhote e cresceu em ambiente doméstico. O comportamento manso com humanos dificulta a soltura ao ambiente, afirma Ana Cecília, veterinária do Cetas.

“Desde a chegada do animal no Cetas ele se mostra à vontade com pessoas. Ele mesmo se aproxima sem medo, nos trata como parte do bando, o que é um risco no meio ambiente. Esse jacu não pode ser solto agora, pois é uma presa fácil para caçadores”, explica.

Equipe de fiscalização foi ao resgate para atender a atendimento da população. Entrega aconteceu sem resistência, portanto não houve autuação.

O IMA realiza a soltura de animais apenas quando é observado que há condições de autonomia e segurança para ele viver livre na natureza.

É estudada a possibilidade deste jacu pertencer a subespécie Penelope superciliaris alagoensis, exclusiva da Mata Atlântica de Alagoas e Pernambuco, mas que está criticamente ameaçada de extinção. Há incerteza pois o espécime foi encontrado em Lagoa da Canoa, área de Caatinga. Estudos estão encomendados para averiguar.

Outras subespécies de jacu, presentes no Estado, também estão sob ameaça de desaparecer.

152 Total Views 2 Views Today