IMA monitora recuperação de áreas degradadas

Órgão verifica progresso em empreendimentos do Estado

Janderson Oliveira

A natureza sempre encontrará seu equilíbrio, mas para isto é necessário respeitar sua recuperação. Na última quinta-feira (5), o Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas visitou campos sob a execução do Plano de Recuperação de Áreas Degradadas (PRAD). Em Passo do Camaragibe, 1,37 hectare da vegetação nativa foi recuperado em três anos, após o encerramento de um antigo local de mineração.

Todo empreendimento que resulta na degradação ou modificação do meio ambiente deve respeitar o Prad, compromisso exigido durante o processo de licenciamento.

O Plano é formado por um conjunto de medidas que propiciarão à área degradada condições de reestabelecer seu equilíbrio, com solo apto para uso futuro e paisagem esteticamente harmoniosa. Após a finalização deste campo de mineração de saibro, o empreendimento iniciou a recuperação da flora nativa.

“A recuperação de uma área degradada através do reflorestamento tem como objetivo retomar as características e funções ecológicas da área que foi alterada”, aponta Isabel Nepomuceno consultora ambiental da Gerência de Fauna, Flora e Unidades de Conservação. “Isso se dá por meio do plantio de essências florestais, condução da regeneração natural e demais técnicas que visem atrair a fauna no ambiente”, completa a técnica que monitorou a área em Passo do Camaragibe nesta semana.

Para guiar ações do Prad, o IMA disponibiliza em seu site a Instrução Normativa do IBAMA que estabelece exigências mínimas e norteia a elaboração de Projetos de Recuperação de Áreas Degradadas – PRAD ou Áreas Alteradas.

315 Total Views 2 Views Today