Laboratório do IMA/AL alerta sobre condições de balneabilidade das praias

O relatório aponta locais considerados próprios e impróprios para banho, mas equipes chamam a atenção para cuidados nos dias de chuvas

Clarice Maia

O Laboratório de Estudos Ambientais e o Gerenciamento Costeiro do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) alertam a população para evitar banhos de mar nos dias de fortes chuvas, principalmente em áreas próximas às galerias de águas pluviais e fozes de rios. As equipes divulgam, nessa sexta-feira (02), o relatório de balneabilidade de 63 pontos da costa alagoana.

Do total, 50 pontos estão considerados próprios para banho e 13 impróprios. O litoral norte apresenta 22 trechos monitorados, com um total de cinco pontos impróprios e localizados em Paripueira e em Maragogi – em frente a praça multieventos, nas fozes dos Rios Salgado e Maragogi.

No litoral sul, foram analisados 21 trechos e, desses, três não estão próprios: Rio Niquim e dois pontos no Rio São Francisco, em Piaçabuçu. Em Maceió, foram coletadas outras amostras em 22 trechos, os cinco que foram considerados impróprios estão localizados nas praias da Avenida, Jatiuca e Cruz das Almas.

Entretanto, “como há grande quantidade de resíduos carreados a recomendação é para que as pessoas evitem banhos de mar no período mínimo de 48 horas após as fortes chuvas. É importante observar que as chuvas, ventos e correntezas podem provocar variação das condições de balneabilidade”, comentou Ricardo César.

Conforme a orientação divulgada pela equipe do Laboratório do IMA, os resíduos podem significar riscos à saúde dos usuários. A recomendação é que seja evitado também o banho em praias influenciadas pela presença de cursos d’água, “principalmente em áreas que estejam diretamente sob influência de rios, canais e córregos, supostamente contaminados por esgotos”

O relatório de balneabilidade é produzido com base no que recomenda a resolução 274/2000 do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama). As praias são consideradas próprias para banho quando em 80% do conjunto de amostras, colhidas no mesmo no local, não exceder o limite de 800 NMP (Número Mais Provável) da bactéria Escherichia coli (E.coli) em cada 100mL de água coletada.

E.coli é uma bactéria presente no trato intestinal de animais de sangue quente, considerada patógeno, ou transmissora de doenças.

1074 Total Views 4 Views Today