Nova espécie de árvore é encontrada em Alagoas 

A Aspidosperma dardanoanum ocorre tanto na Mata Atlântica quanto na Caatinga

Dálet Vieira

Um espécime arbóreo pertencente ao gênero Aspidosperma (Apocynaceae) foi encontrado na Estação Ecológica do município de Murici (Esec). Após pesquisas desenvolvidas no Herbário MAC do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL), pesquisadores constataram que se trata de uma nova espécie ainda não descrita pela ciência.

Jarina Alves exibe o artigo publicado na revista Phytotaxa. Foto: Ascom IMA

Através das primeiras amostras depositadas no acervo do Herbário MAC, em 2005, a espécie encontrada no interior de Alagoas despertou a curiosidade de pesquisadores pelas características diferenciadas das demais espécies. Os estudos começaram a se desenvolver em 2018, quando já se tinham coletas feitas em outros locais e datas, e neste ano, foram publicados na revista Phytotaxa.

A nova espécie recebeu o nome Aspidosperma dardanoanum em homenagem ao importante botânico nordestino Dr. Dárdano de Andrade Lima. Este, deixou várias contribuições para a botânica brasileira e iniciou com as primeiras coletas para o Herbário MAC.

A árvore encontrada faz parte de um grupo de plantas bastante representativo pelo valor comercial da madeira e pelos princípios ativos em medicamentos, tratamentos e dentre outros usos farmacológicos. Sendo, portanto, importante para a biodiversidade e para futuros estudos voltados para a espécie.

“A Aspidosperma dardanoanum ainda carece de estudos até mesmo para saber quais são os agentes polinizadores, quais as espécies que se alimentam dessa planta e dentre outras coisas” explica Jarina Alves, consultora do Herbário MAC do Instituto. 

Stephanie Pereira, pesquisadora da Unicamp, junto à Jarina Alves, botânica do Herbário MAC. Foto: Ascom IMA

O grupo de pesquisadores que desenvolveu os estudos acerca da nova espécie foi encabeçado por Jarina Alves junto à Andreza Pereira da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), Thales Coutinho da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e Ana Carolina Castello da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG).

Exsicata da nova espécie. Foto: Acervo Herbário MAC

Os autores registraram 16 espécimes em 11 localidades diferentes. Destas, cinco estão em Unidades de Conservação (UC). Em Alagoas a A. dardanoanum, ocorre na Estação Ecológica de Murici e na Reserva Biológica de Pedra Talhada, no Rio Grande do Norte é encontrada na Área de Proteção Ambiental (APA) Bonfim-Guarairas, Parque Estadual Mata da Pipa e no Parque Estadual Dunas de Natal. Já em Pernambuco, não foi encontrada dentro de áreas protegidas. 

“Descobrir uma nova espécie significa mais riquezas descobertas naquele ambiente. Inclusive se ressalta a importância das Unidades de Conservação, porque através desses locais temos a oportunidade de conhecer essas espécies. Como no caso da Aspidosperma dardanoanum, que foi encontrada em uma Unidade de Conservação de Alagoas” diz Jarina, satisfeita com a contribuição para a ciência.

A descoberta da nova espécie de arbóreo destaca ainda, a necessidade de criar mais Unidades de Conservação (UC). Por meio delas se mantém os remanescentes florestais, que contribuem para o conhecimento e a preservação da biodiversidade brasileira. 

Registrar mais uma planta, é também um grande marco para Alagoas e o Herbário MAC do IMA que reúne espécimes da flora alagoana ao longo de 40 anos e possui mais de 65 mil amostras de plantas catalogadas.

Para ver o artigo na íntegra basta acessar o link: https://www.mapress.com/j/pt/article/view/phytotaxa.491.4.2

179 Total Views 12 Views Today