Pesquisas e catalogação ajudam na preservação das Dunas do Cavalo Russo

Há cerca de dois anos, Herbário MAC realiza estudos florísticos no local

Dálet Vieira

As Dunas do Cavalo Russo são conhecidas por suas belezas naturais e por serem uma ótima indicação para passeios. Situadas entre a Barra de São Miguel e Marechal Deodoro, abrigam um bioma bem característico que há cerca de dois anos vem sendo estudado e acompanhado pelo Herbário MAC, do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL).

Nos últimos anos, a comercialização de plantas locais, depósito de lixo, retirada de areia para construção e dentre outras ações acabaram trazendo desequilíbrio ecológico. Sendo necessário estudos florísticos e análise do impacto causado por essas atividades antrópicas nas Dunas.

O Herbário do IMA já catalogou 296 espécies, sendo 38% ervas, 33% árvores, 19% arbustos e 9% trepadeiras. Também foi constatado, através dos estudos realizados, que a área conta com 11 espécies de orquídeas e 38 espécies de fabaceae. Além da presença de mangaba e cactos por toda a área.

Rosângela Lemos, curadora do Herbário MAC, explica que a região também é abrigo para animais ameaçados de extinção e que os trabalhos de preservação nas Dunas do Cavalo Russo são fundamentais para garantir a permanência de fauna e flora nativas.

“O intuito desse estudo é ressaltar que apesar da devastação, esse ambiente ainda possui traços marcantes de sua vegetação natural e por isso, é necessário preservar e divulgar a importância dessa região” relata Rosângela.

A curadora ainda ressalta a importância de se preservar a vegetação rasteira, a exemplo da salsa da praia, que ajuda na fixação e manutenção dos sedimentos arenosos de formação das dunas.

Os trabalhos de catalogação e estudos florísticos continuam, dessa forma mais espécies são identificadas, contribuindo diretamente nas pesquisas e planos de preservação da fauna e flora da região.

94 Total Views 1 Views Today