Relatório de balneabilidade das praias é divulgado pelo IMA

O documento apresenta as condições de banho em 63 pontos onde são coletadas amostras para análise em laboratório

O Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) emitiu nessa sexta-feira (11) o relatório semanal de balneabilidade das praias, com os resultados das amostras analisadas dos 63 pontos verificados em toda a costa alagoana. O órgão estadual chama atenção sobre as condições das áreas que foram atingidas por manchas de óleo, desde o início do mês de setembro.

Do total de pontos analisados, apenas três foram considerados impróprios, mesmo com o registro das manchas de óleo em 15 pontos de 12 municípios. Segundo a equipe de Gerenciamento Costeiro do Instituto isso se deve principalmente a dois motivos: a resposta imediata de limpeza das praias; por se tratar de petróleo temperizado, condensado em fragmentos, o material não alterou a balneabilidade das praias.

A situação difere um pouco de casos como dos Estados da Bahia e Sergipe, onde o óleo ainda apresenta características específicas e pode se dispersar na água e alterar as condições de balneabilidade.

“Esse petróleo chegou às nossas praias já em fragmentos condensados, com o movimento das ondas eles foram depositados na areia. Graças a resposta imediata das prefeituras esse material foi retirado mecanicamente, com ajuda da população e, em algumas pontos, com orientação de órgãos como IMA e Ibama, além do ICMBio, Marinha e Secretaria Estadual de Meio Ambiente”, disse Ricardo César, coordenador de Gerenciamento Costeiro do IMA.

O coordenador afirma anda que o documento é seguro porque é produzido com base em análises feitas regularmente pelo Laboratório de Estudos Ambientais do IMA. Permanecendo o alerta para que a população evite os pontos considerados impróprios. No caso do avistamento de manchas de óleo, deve-se evitar o contato e avisar prefeitura, IMA ou Ibama imediatamente.

O relatório de balneabilidade das praias é produzido com base no que determina a resolução nº274/2000 do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). O documento é disponibilizado semanalmente pelo Instituto, através do site do órgão.

1058 Total Views 3 Views Today