Revendedores de gás GLP são autuados por falta de licença ambiental

Através de denúncias realizadas no aplicativo IMA Denuncie a equipe de fiscalização conseguiu identificar as irregularidades

Wanessa Santos

Durante atendimento de denúncias, feitas através do Aplicativo IMA Denuncie, os fiscais do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL) flagraram irregularidades envolvendo comercialização e transporte irregular de gás liquefeito de petróleo (GLP).  O problema coloca em risco a população circunvizinha.

A substância, muito comum em residências e popularmente conhecida como gás de cozinha, é um sub produto do petróleo, assim como a gasolina, e necessita de documentação específica para ser comercializado e transportado.

Na última quinta-feira (03) as equipes de fiscalização do IMA/AL estiveram na região norte do Estado, onde identificaram um caminhão que fazia o transporte irregular de GLP. O veículo não possuía a Autorização para Transporte de Produto Perigoso (ATTP), e foi autuado em R$ 1.250,00.

No mesmo dia, no município de São Miguel dos Campos, um estabelecimento que comercializava o produto sem licença também recebeu multa no valor de R$ 1.250,00.

Durante a semana os fiscais constataram uma terceira infração envolvendo GPL, dessa vez no  município de Marechal Deodoro. Um outro estabelecimento estava vendendo o gás sem licença ambiental, o que resultou em mais uma autuação de R$ 1.250,00.

Os técnicos do órgão ambiental enfatizam a importância de obter as licenças prévias (LP), de instalação (LI) e de operação (LO) – para quem deseja comercializar o GLP, e a ATTP, para poder transportar esse tipo de produto, além do cumprimento das condicionantes.

Com os passos corretos, além de evitar penalidades pelas infrações, o empreendedor contribui para uma situação menor de perigo pelo manuseio de produtos com alto teor inflamável e explosivo.

971 Total Views 2 Views Today