Lançada a plataforma que disponibiliza base de dados produzida pelo IMA

Imageo permite a qualquer pessoa acessar as informações que passam pelo setor de geoprocessamento do órgão  

Clarice Maia

Os mais diferentes profissionais, pesquisadores, estudantes ou pessoas que se interessem pelo assunto passam a ter, a partir dessa sexta-feira (13), acesso a uma base de dados produzida pela equipe de geoprocessamento do Instituto do Meio Ambiente (IMA). A plataforma Imageo é uma ação inovadora que coloca a disposição da população diferentes informações físicas sobre o Estado de Alagoas.

A ideia de tornar o acesso mais dinâmico e democrático nasceu dentro do setor de geoprocessamento, inicialmente para atender a demanda interna dos técnicos de outros setores. Com o desenvolvimento da ferramenta foi constatado que o banco de dados poderia compor uma plataforma acessível também à população.

“Essa plataforma é um desejo antigo e é um passo muito a frente para disponibilização de informação. A princípio tem um caráter de visualização, permitindo algumas edições. O uso e a avaliação da funcionalidade é que vai nos dar a oportunidade de melhorar e ampliar a ferramenta”, comenta Daniel Conceição, geógrafo assessor de geoprocessamento do IMA.

Durante o lançamento, na manhã dessa sexta-feira (13), a ferramenta foi detalhada para os técnicos de setores fundamentais do Instituto, como Licenciamento; Monitoramento e Fiscalização; Fauna, Flora e Unidades de Conservação.

Segundo Bruno Vasconcelos, da Taibu tecnologia – empresa alagoana responsável pelo desenvolvimento da plataforma, “é possível visualizar e extrair e informações”. Ele explicou e mostrou que além de acessar dados armazenados para estudos de áreas, a partir de qualquer computador ligado à internet, “também é possível utilizar ferramentas para mapear áreas, como altitude, distâncias, curvas de nível”, com imagens de satélite atualizadas.

As próximas etapas, segundo o desenvolvedor, serão: aperfeiçoar a plataforma com a as informações repassadas pelos usuários e criar um caminho interno para utilização dos técnicos do Instituto no andamento dos processos.

Leonardo Vieira, assessor executivo de Gestão Interna do IMA, disse que “essa é uma ferramenta para aprimorar os trabalhos dos técnicos e, ao mesmo tempo, disponibilizar para a população. O ideal é que construamos, gradativamente, uma base de dados forte”.

Para tanto, “a partir de agora todos os processos que forem analisados pelo setor de geoprocessamento já servirão para alimentar a plataforma com a base de dados”, comentou Daniel Conceição. Antes as informações ficavam armazenadas no subsetor que está inserido dentro da Gerência de Fauna, Flora e Unidades de Conservação.

Há alguns desafios ainda como a disponibilização de imagens de drone e determinadas bases de dados, como a do Cadastro Ambiental Rural (CAR), por causa da densidade e do tamanho dos arquivos que exigiriam uma conexão muito alta com a internet, devido ao volume de troca de dados.

“Mesmo assim o avanço é incrível e tenho certeza que ainda poderemos ampliar”, disse Danniel. A plataforma vai permitir acesso a descrição geral das Unidades de Conservação existentes em Alagoas, a identificação dos territórios existentes no Estado com suas principais características físicas, identicação e mapeamento dos recursos hídricos, entre outras.

A plataforma Imageo já está em funcionamento, pode ser acessada através do endereço imageo.ima.al.gov.br ou ainda clicando no link existente no site do IMA: ima.al.gov.br.

 

361 Total Views 2 Views Today