Panc: flora alagoana guarda alimentos ricos em nutrientes

Herbário MAC documenta espécies que podem colaborar num cardápio variado

Janderson Oliveira

A dieta do alagoano pode ser mais abrangente do que feijão e arroz. Já pensou em almoçar escondidinho de cará com carne de jaca, ora-pro-nóbis e açafrão da terra? Esse é um exemplo de prato composto por Plantas Alimentícias Não Convencionais (Pancs). O nome é muito mais próximo do que se imagina: algumas espécies tradicionais são encontradas facilmente na flora e podem integrar o nosso cotidiano como fontes abundantes de nutrientes e renda.

Esse grupo de vegetais comestíveis é considerado fundamental para a proteção da biodiversidade, afirma Rosângela Lemos, consultora do Herbário MAC do Instituto do Meio Ambiente do Estado de Alagoas (IMA/AL).

“A alimentação é um fato muito importante para a biodiversidade. A partir do momento que a população faz uso sustentável das plantas, o legado das pessoas antigas é passado às novas gerações. Tudo isso tem importância primordial para preservar o meio ambiente e fortalecer o resgate dos conhecimentos dos ancestrais”, declara a bióloga do acervo quaternário em 2020.

Estudos sobre Pancs podem ser encontrados em diversas das áreas do conhecimento. No Estado, é um dos objetos de pesquisa da professora Patrícia Muniz do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Alagoas (Ceca/Ufal).

O projeto é ancorado pela etnobotânica, a ciência que estuda as relações entre as pessoas e as plantas. A metodologia identifica as espécies mais conhecidas, literatura local relacionada e quais são os fatores que interferem nesse conhecimento, os critérios para que as pessoas escolham consumir uma planta ao invés de outra.

“Fomos percebendo que para contribuir na popularização dessas plantas precisamos entrar em outras áreas que estão ali na fronteira da etnobotânica. Incorporamos no trabalho questões da psicologia e comportamento do consumidor, por exemplo”, revela a professora.

Comunidades alagoanas são campos para descoberta de Pancs

É possível encontrar em diversas cidades alagoanas exemplos de usos não amplamente difundidos de plantas alimentícias. No assentamento Dom Elder, em Murici, o projeto do Ceca encontrou uma dieta local singular, com o consumo de variadas plantas em múltiplas formas, a exemplo da taioba (Xanthosoma sagittifolium)

A folha do tubérculo está na culinária da região, sendo este um uso pouco visto, pois a parte mais utilizada é a raiz. Quando picada e cozida, pode-se encontrar uma rica fonte de vitamina A e C, além de minerais como o Ferro e Cálcio.

Outra espécie é o araçá-do-campo (Psidium guineense). Além do ótimo sabor em doces, o fruto possui vitamina A, B e C, minerais como o Cálcio, Ferro e Fósforo.

Visualização digitalizada de Psidium guineense disponível no acervo virtual do Herbário MAC

Essas duas espécies estão bem distribuídas no território de Alagoas, revela o acervo do Herbário MAC. Há dezenas de registros de Psidium guineense na coleção, de Maceió à Viçosa. Isso faz questionar o porquê de muitas plantas continuarem sendo consideradas “alimentícias não convencionais”.

“São inúmeros desafios para popularizar essas plantas”, afirma a professora Patrícia Muniz, “o primeiro desafio é o próprio desconhecimento, mesmo as espécies podendo ser encontradas em beira de estrada. Muitas vezes as pessoas querem consumir, mas não têm acesso aos produtores ou extrativistas. Ainda há a questão da neofobia alimentar, a aversão a consumir coisas novas, e se de fato está relacionado com a disposição a consumir Panc”, detalha a pesquisadora.

Você comeria uma Panc?

As plantas alimentícias não convencionais são acessíveis em Alagoas, do litoral ao sertão, e estão ganhando espaço entre a população.

“O cenário é muito positivo. As Pancs hoje são consideradas um hot topic. Isso acontece graças às várias ações sendo feitas regionalmente, como o plano de introdução de Pancs na merenda escolar de Maceió”, revela a professora Patrícia Muniz.

Durante a pandemia do novo coronavírus, conhecer novas formas de se alimentar podem introduzir hábitos saudáveis cotidianos. Com certeza há uma planta alimentícia não convencional que pode fazer parte de sua dieta.

Encontre as Pancs registradas em Alagoas no acervo virtual do Herbário MAC disponível em: http://www.splink.org.br/search?lang=pt&collectioncode=MAC

1495 Total Views 1 Views Today